top of page

Loja Guaspari


O projeto do Edifício Guaspari é do importante arquiteto espanhol, Fernando Corona (1895 – 1979), que chegou em Porto Alegre ainda adolescente. Além de arquiteto, Corona foi escultor, crítico e professor de arte. O prédio foi inaugurado em 1933 e é um ícone porto-alegrense de arquitetura modernista. Por cerca de 30 anos, ficou escondido sob uma estrutura metálica, até ter sua fachada recuperada em 2017. Atualmente, é protegido como bem cultural de estruturação, o que significa que não pode ser demolido nem ter alterados seus elementos característicos.


Com o crescimento da cidade, foi também crescente a exclusão da população negra das regiões mais centrais para os arrabaldes, produzindo, em determinados locais, um território transicional, ou seja, um “espaço social de trânsito no qual as pessoas se relacionam de maneira fluída por não constituírem uma comunidade permanente”[1]. Era o caso da região localizada entre a frente do edifício Guaspari e o pequeno auditório que a Rádio Gaúcha tinha no Edifício União, na esquina da Av. Borges de Medeiros. Teve maior afluência no período compreendido entre o final dos anos 1960 e o início dos 1970, sendo local de encontro daqueles que saiam do trabalho nas proximidades.


Estes grupos que se reuniam no centro da cidade, incluindo a Rua da Praia (Rua dos Andradas) com a Av. Borges de Medeiros – hoje conhecida como Esquina Democrática – e a frente da Loja Masson, a Rua Riachuelo e na frente do edifício Guaspari, entre outros, acabariam por contribuir decisivamente para o surgimento do Movimento Negro Moderno e na construção de uma nova postura identitária.




Referências:

Ed. Guaspari, uma história de mais de 80 anos. UrbsNova | Agência de Design Social e Inovação. Disponível em: https://urbsnova.wordpress.com/2017/08/09/guaspari/. Acesso em: 08 dez. 2022.


CAMPOS, Deivison Moacir Cezar de. O Grupo Palmares (1971-1978): um movimento negro de subversão e resistência pela construção de um novo espaço social e simbólico. 2006. Dissertação (mestrado). Programa de Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2006. Disponível em: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2360. Acesso em: 08 dez. 2022.

[1] CAMPOS, Deivison Moacir Cezar de. O Grupo Palmares (1971-1978): um movimento negro de subversão e resistência pela construção de um novo espaço social e simbólico.

94 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page